De Santiago a Mendoza: uma travessia pela Cordilheira dos Andes

O que esperar de uma travessia de ônibus pelos Andes?

cordilheira
Fotos: Loco por vino

Malbec, assado de tira, bife de chorizo, milanesa, trutas e lindas paisagens. Bem vindos a Mendoza. Saímos de Santiago a Mendoza, levando das 9h30min às 17h30min de ônibus, pela famosa Cordilheira dos Andes, que divide o Chile da Argentina. Mas o que esperar de uma travessia de ônibus pelos Andes?

Compramos as passagens online pela empresa Andesmar, algo como 70 dólares por pessoa. A empresa oferece uma caixinha com café, chá, alfajor, um bolinho e posteriormente um sanduíche com Coca-Cola.

Ônibus de dois andares, com banheiro, poltronas confortáveis, semi-cama, com um bom ar condicionado, TV (que passou dois filmes) e ainda conta com carregador USB e uma tomada. Sempre vão dois motoristas, pois as leis locais impedem que o profissional dirija por mais de quatro horas seguidas.

Ficamos em torno de uma hora parados no topo dos Andes, na imigração Argentina, que está a 2,8 mil metros de altitude. A dificuldade para se respirar é facilmente percebida.

A rota é bem tranquila, apesar de ser 80% à beira de penhascos e de estrada simples de via dupla. Mas os motoristas seguem os limites de velocidade e são bem profissionais.

cordilheira
Cordilheira

O ponto alto da viagem fica pela passagem na estrada Los Caracoles, com 29 curvas.

Os motoristas são os que servem a comida, checam as passagens, ajudam na imigração, etc. A única coisa irritante são as pessoas pedindo “propina”, a famosa gorjeta. Se você não der gorjeta, que eles pedem na cara dura, terá que tirar e colocar as malas no ônibus você mesmo.

Mas, enfim, vale a pena o passeio. É bem confortável e tranquilo, sem contar que atravessar os Andes é algo único e que você terá histórias para contar.

Chegando em Mendoza, notamos uma grande diferença para Santiago. Ao contrário da capital Chilena, existem muitas pessoas pedindo dinheiro, vendendo coisas (enquanto jantávamos, seis pessoas pararam em nossa mesa, oferecendo desde meias até pilhas). Mas depois de um dia você se acostuma e nem liga mais.

E vamos ao que interessa: bife de chorizo, assado de tira, trutas, milanesa, alfajor e vinhos!

Mendoza não é uma cidade com muitas atrações ou passeios e o foco de tudo gira em torno dos famosos Malbecs e a carne argentina. Existem inúmeros restaurantes que oferecem a famosa Parrilada Argentina, alguns nomes são: Don Alonso, Don Mario, La Lucia, El Patio de Jesus Maria e El Asadito.

Estes são os mais famosos e realmente possuem uma carne de melhor qualidade em comparação com alguns restaurantes estilo buffet que visitamos.

É quase impossível não parar em algum buffet, pois eles possuem estas vitrines:

O buffet livre com carne, que pode ser encontrado a cada esquina, custa entre $250 e $300 pesos argentinos, algo como $15 dólares.

No El patio de Jesus Maria, eles trazem duas carnes por vez e colocam em uma tábua no centro da sua mesa. Você prova vários cortes e no final perguntam se você quer repetir algum. Esta modalidade sai mais cara que o buffet, quase $500 pesos por pessoa, mas a qualidade da carne é melhor.

Outra coisa que você encontra muito são restaurantes especializados em Milanesa.
E realmente são muito bons! Alguns levam Milanesa no nome, como o Club da Milanesa ou Rey da Milanesa, ficando fácil identificar onde encontrar o prato, e que prato!

Milanesa
Milanesa

Sem contar o Choripan, o famoso pão com linguiça e Chimichurri.

choripan
Choripan

Outra variedade famosa da Milanesa é a Napolitana, que é a carne empanada, coberta com molho de tomate, presunto e queijo.

No restaurante La Lucia, apesar de muito famoso por suas carnes, você pode provar trutas na brasa, famosa iguaria na região de Mendoza.

Quanto aos vinhos, é quase impossível achar salas de degustação por taça no coração de Mendoza.

Existem muitas lojas com enorme variedade de garrafas, porém encontramos apenas dois bares com degustação por taça, um se chama Wine o’clock e o outro Chinitas.

Chinitas, mais pessoal, tem duas mulheres como sócias-proprietárias, ex-guias turísticas e que sabem muito sobre a região. Na degustação, abrem várias garrafas, de acordo com o gosto do cliente, acompanhados com canapés de produtos locais.

Não existe restaurante no local e o cliente pode pedir pizza ou empanadas maravilhosas, de um delivery que fica ao lado.

Lá tivemos nosso primeiro contato com algumas uvas famosas da região, além de Cabernet Sauvignon, Merlot e Torrontes… São as bem adaptadas Bonarda e Cabernet Franc!

Existem fabricas de alfajor e chocolate no centro da cidade que também merecem uma visita, tudo isso pode ser feito a pé pelo centro de Mendoza.

Se quiser ter uma visão mais ampla da cidade, uma outra opção seria o passeio de ônibus aberto, que dura umas três horas e custa $190 pesos.

Leia mais colunas de Loco por Vino