Três projetos catarinenses são escolhidos para o Itaú Cultural

Edição teve 12.616 inscritos e promete maior igualdade entre as regiões brasileiras

Coletiva em São Paulo revelou os vencedores do edital 2018. Foto: Lucas Taglietti

Três projetos catarinenses foram contemplados pelo 18º edital do Rumos Itaú Cultural. A iniciativa, que promove a produção artística e cultural brasileira, distribuiu mais de R$15 milhões entre 109 projetos selecionados para esta edição. A lista final foi definida por uma comissão formada por 21 profissionais de diversas áreas do conhecimento que possuem relacionamento próximo com a cultura brasileira.

De acordo com Paula Gomes, cineasta e integrante da comissão de avaliação, o foco do programa é olhar para os artistas e ver o que eles estão pensando e sentindo em um cenário marcado pelas restrições à cultura, apontando-a como a única luz possível nesse momento de transição.

Uma das grandes evoluções deste ano foi o fato de que, pela primeira vez, todas as unidades federativas foram contempladas pelo programa. Esse mérito é da iniciativa “Rumos Escuta” que busca garantir oportunidades iguais a todos os estados. Os projetos catarinenses selecionados abordam dois grupos temáticos: gênero e acessibilidade.

O HQ “Monstrans: experimentando horrormômios” de Lina Alves Arruda é um dos projetos contemplados. A história é autobiográfica e trata da transição de gênero do autor. Deficiência, identidade de gênero, raça, sexualidade e preconceito estão entre os temas abordados.

“Homens Pink” da La Vacca Productora de Arte, também se enquadra no recorte de questão de gênero e terá sua execução viabilizada pelas verbas do Itaú Cultural. A peça de teatro relata o processo de envelhecimento da população LGBT+ e tem um olhar empático a invisibilidade do homem gay idoso.

A coleção sobre Tradução e Interpretação em Libras na Esfera Artística de Natália Schleder é o terceiro projeto catarinense viabilizado pelo edital. Serão publicados três livros sobre tradução e/ou interpretação envolvendo língua de sinais de textos artísticos e literários.

Para Eduardo Saron, Diretor do Itaú Cultural, a meta da instituição é mais do que garantir acesso à cultura. O desafio é promover a participação mais abrangente de todos como produtores, consumidores e parte viva da cultura.

Outro avanço importante na edição desse ano foi o aumento da representatividade de grupos antes considerados minoritários. 51 projetos contemplados foram propostos por mulheres e 21 projetos são originários de cidades de interior.

Além de questões de gênero e acessibilidade, os demais projetos selecionados também abordam temas como tecnologia, artes visuais, cinema, circo, dança, gastronomia, gestão cultural, literatura, patrimônio e memória, teatro e música.

Todos os selecionados são acompanhados pelo Itaú Cultural por até dois anos para garantir o impacto esperado do projeto em sua região de origem. A instituição conta com seu time jurídico, de prestação de contas, compra de equipamentos, entre outros para a conclusão de cada projeto.

Para ver a lista completa dos selecionados acesse: itaucultural.org.br/secoes/rumos

Leia Mais:

Confira a programação do Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM 2018

Cenário do “Encontro” recebe obras de artista de Florianópolis