Uma garrafa de champagne pode estourar durante um voo de avião?

Fotos: Divulgação

Como fazer uma viagem para a França, ou até mesmo aos EUA, onde as coisas são bem mais baratas que no Brasil, e não trazer uma garrafa do precioso líquido borbulhante? Quem viaja aos EUA ou Europa, geralmente quer trazer um garrafa de champagne na bagagem. Mas será que isso é seguro? Será que ela pode estourar junto da bagagem?

Ao menos que você não esteja viajando em um avião da Segunda Guerra Mundial, a resposta é SIM! Extremamente seguro.

Você já deve saber que líquidos não podem ser transportados como bagagem de mão, certo? Então eles dever ser despachados no meio de suas roupas, bem embalados, ou ainda em malas especiais como esta:

Elas podem ser encontradas no site do Amazon e não custam menos de $300 dólares. Uma alternativa mais barata, seriam plásticos especiais para garrafa, que podem ser apenas um plástico bolha.
Ou uma “almofada” que você enche com ar.

Este tipo de transporte seria o ideal, ao invés de você enrolar a garrafa em sua camisa polo ou enfiar dentro de suas meias. Mas esse é um cuidado que vai depender de quanto carinho você tem com suas roupas e, principalmente, com seu vinho.

Lembrando que estes itens de segurança são para proteção contra impactos e nada tem a ver com a pressão do avião. O compartimento de bagagem é pressurizado e aquecido, protegendo todos os itens despachados. Apesar da pequena variação de pressão, que sentimos nos ouvidos, ser capaz até de fazer um recipiente de shampoo vazar, ela não é suficiente para romper uma garrafa de champagne, que foi feita justamente para aguentar até 7 vezes a pressão que o líquido faz na garrafa. Esta segurança se aplica aos vinhos também, desde que não seja um produto de 0,99 centavos, onde a garrafa é mais frágil que uma casca de ovo.

Para você ter uma ideia da pressão que uma garrafa te champagne tem, abrimos uma usando o antigo método chamado Sabrage, que usa uma espada (lado não afiado) e a pressão da champagne para romper o gargalo da garrafa. Este método era muito usado pelas tropas de Napoleão, na França.

E repetimos para provar que não foi sorte:

E aí, quem se saiu melhor?

Então, viaje tranquilo e verifique junto a sua empresa aérea, a quantidade de garrafas que você pode despachar como bagagem, geralmente são de 12 unidades de vinho por pessoa.

Leia mais:

Já pensou em dormir num barril, no meio de umas das mais famosas regiões vinícolas do mundo?

Bordeaux: você prefere Right Bank ou Left Bank? Qual a diferença?

Vinhos verdes de Portugal são os mais exportados depois do vinho do Porto