Val Marchiori é condenada a indenizar Ludmilla por comentário racista

Socialite afirmou que nunca foi racista e que vai recorrer da decisão

Fotos: AgNews

Famosa por ter estrelado o programa Mulheres Ricas, da Band, a socialite Val Marchiori, 43, foi condenada a indenizar a cantora Ludmilla em R$ 10 mil por ter feito, durante um programa da Rede TV!, comentário racista sobre o cabelo da funkeira. Val afirmou que nunca foi racista e que vai recorrer da decisão.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o processo corria na 3ª Vara Cível do Fórum Regional da Ilha do Governador, na zona norte do Rio, desde 2016 e teve o resultado divulgado nesta terça (6).

Na ocasião, a socialite comentava a fantasia de Carnaval usada por Ludmilla, rainha da bateria do Salgueiro (escola do grupo especial do rio). — A fantasia está bonita, a maquiagem. Agora, o cabelo… Hello! Esse cabelo dela está parecendo um bombril, gente!”, declarou Marchiori.

Na sentença, a juíza Mariana Moreira Tangari Baptista considerou o comentário ofensivo e racista. O argumento de que a socialite estaria usando de seu direito à liberdade de expressão foi rechaçado.

— O comentário feito por ela [Val Marchiori] não teve nenhum conteúdo jornalístico, informativo e útil para os telespectadores. Na verdade, foi um comentário depreciativo e racista, apto a causar dano moral à autora — declarou a magistrada, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo.

Ainda segundo o periódico, a juíza acrescentou que, embora os apresentadores tenham tentado evitar o comentário dizendo que se tratava de uma peruca, Marchiori teria insistido. — O vídeo do programa está disponível na internet e nele está muito claro que a primeira ré insiste em comparar o cabelo da autora a um bombril.

Em nota, a socialite disse que foi surpreendida com a decisão e está recorrendo judicialmente. “Não houve de minha parte qualquer comentário racista. Não sou e nunca fui racista e aguardo, serenamente, que a decisão seja revista no recurso que já está sendo preparado pelo meu advogado.”

Leia mais:

Lázaro Ramos anuncia que “Mister Brau” vai acabar

Tais Araújo destaca o empoderamento feminino em “Mister Brau”

Monalysa Alcântara: negra, nordestina, empoderada e miss