Veja dicas de alimentos e bebidas que têm a cara da primavera

Alimentos da época, além de mais baratos, são mais nutritivos, frescos e saborosos

Legumes frutas e verduras da primavera
Foto: Beto Barreiros

Estamos na primavera, a estação das flores, que traz uma grande variedade de frutas, verduras e legumes. Alimentos da época, além de mais baratos, são mais nutritivos, frescos e saborosos.

Estes são os alimentos da estação para você ter em casa, de preferência, comprados nas feiras e no Mercado Público:

Frutas: Avelã, banana prata, banana nanica, abacaxi pérola, amêndoa, castanha, coco verde, caju, framboesa, jabuticaba, laranja pera, lichia, maçã fugi, mamão havaí, manga, maracujá, melancia, melão, nectarina, nozes, morangos e pêssego.

Legumes: Alcachofra, berinjela, abobrinha italiana, abóbora, cenoura, nabo, pepino japonês, pimentão amarelo, tomate e vagem.

Verduras: Almeirão, couve Bruxelas, endívias, alho poró, aspargos, brócolis, espinafre, mostarda e rúcula.

O que está na moda e vai ficar

limonada de cranberry
Limonada de cranberry (Foto: Beto Barreiros)

As limonadas e chás, além de refrescantes, sem uma gota de álcool, são práticas e versáteis de fazer, já que os ingredientes básicos são os xaropes da fruta que você gosta, água e muito gelo. Será a bebida do verão, que veio para ficar. Limonadas de Cranberry, hibisco, maçã verde e chá preto com pêssego e com limão são os preferidos dos consumidores.

Prepare uma limonada de Cranberry com uma dose de xarope, sumo de meio limão, água com ou sem gás e bastante de gelo. Decore com uma fatia de limão e uma cereja e sirva.

Casquinha de chocolate

casquinha de chocolate
casquinha de chocolate (Foto: Rejane Esteves/Divulgação)

Novidade em Florianópolis, a Darê Chocolatier vem se destacando pela qualidade dos chocolates que produz, fruto do amor a arte da sua criadora a chocolatière Rejane Esteves. Ela fez curso na Chocolate Academy Canada, além de estágio com Antonine Chocolatier e Patissier, em Bordeaux, na França. Palete de nozes com cobertura ao leite, chá de cacau elaborado com as cascas de amêndoa de cacau da Bahia, brigadeiro ao leite, trufas, casquinha de chocolate amargo com ganache amargo e ganache de chocolate com baunilha e frutas (foto), caramelo salgado, açafrão com água de flor de laranjeira ao leite e branca com framboesa, tem encantado os melhores eventos e clientes. Rejane busca o cacau perfeito, um movimento mundial chamado “bean to bar” (do grão à barra), que incorporou no seu ateliê. A seleção da amêndoa do cacau que é feita na Bahia, no ateliê é torrada e a moagem antes do processamento leva mais de 48 horas para depois serem transformadas em deliciosas obras de arte. A loja fica na Servidão Laje de Pedra, 73, loja 1, Itacorubi – Florianópolis.

Memória do Box

Amor e solidão

João da Angélica
João da Angélica (Foto: Beto Barreiros)

A cada seis meses, o pescador João da Angélica vinha ao Box beber uma cachacinha com o seu admirador e amigo, o jornalista Aldírio Simões. Enlouquecido pela dor da perda da mulher depois do parto do seu quarto filho, ele deixou o bebê com parentes e foi viver sozinho na deserta Ilha dos Corais, por 38 anos, em uma casinha sem conforto, onde utilizava latas para cozinhar no improvisado fogão a lenha. Baixinho, enrugado pelo sol, vestido com simplicidade, andava sempre de chinelos. Ele agia como se a ilha fosse dele, mas ele não era dono de nada, a Ilha dos Corais é propriedade da Marinha, que nunca concordou com a permanência dele lá, onde mantém um farol. Ele já tinha 80 anos quando foi despejado da ilha. Durante dois anos, todos os dias, subia numa pedra e ficava olhando o mar na direção da ilha distante, ar triste, acabrunhado. Nos botecos, depois de alguns goles, queixava-se da saudade que sentia da ilha. Foi definhando até que, em 2002, tirou a própria vida depois se saber que foi negada a sua última tentativa para voltar.

Leia mais colunas de Beto Barreiros