Zeca Pagodinho e amigos cantam samba no velório de Beth Carvalho

Cerimônia ocorre na sede do Botafogo, no Rio de Janeiro

Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Ao som de sucessos que marcaram sua carreira e com bandeiras do Botafogo e da escola de samba Mangueira, o corpo de Beth Carvalho começou a ser velado na manhã desta quarta-feira (1º), na sede do clube de futebol, na zona sul do Rio de Janeiro.

A cantora morreu nesta terça-feira (30), aos 72 anos, após uma infecção generalizada. Ela estava internada no hospital Pró-Cardíaco e faria aniversário no domingo (5). Para celebrar a data, um show com amigos e outros sambistas estava agendado para ocorrer no mesmo dia, na casa de shows Vivo Rio, no bairro do Flamengo.

Muitos desses amigos, ao lado de parentes e fãs, compareceram ao velório e prestaram homenagens. Por volta de 11h10min, o cantor Zeca Pagodinho chegou ao clube e causou alvoroço entre fãs. Após ele se aproximar do corpo de Beth Carvalho, alguns presentes começaram a cantar, juntos, a música Andanças, sucesso da sambista, seguida de aplausos.

— São muitas lembranças. É difícil… Não sei nem o que falar. Era a madrinha para todo mundo. Ela botou muita gente lá em cima. Eu costumo brincar que eu era só um compositor, mas virei o Zeca Pagodinho por causa dela. Meu negócio era compor, ela me colocou para cantar Camarão que Dorme a Onda Leva — lembrou, emocionado, o cantor.

Dudu Nobre também chegou cedo à cerimônia e falou sobre a tristeza da perda.

— Cinco anos atrás fizemos uma turnê, eu, ela e Arlindo Cruz. A gente via que ela estava ali batalhando, lutando pela vida, lutando para continuar cantando, tanto que tinha um show já marcado. O último espetáculo dela no Rio de Janeiro foi muito emocionante — disse.

— Além de entrar para história como a Madrinha do Samba, ela entra como uma guerreira. Uma pessoa que venceu muitos tabus. Beth foi uma guerreira que lutou pela vida — continuou Nobre.

A cantora Teresa Cristina também foi ao velório e destacou o caráter de Beth Carvalho.

— Sempre foi uma mulher de coragem e nunca teve medo quando o Brasil precisou dela —apontou a artista.

Ao lado dela, a cantora e compositora Zélia Duncan afirmou que o Brasil está de luto.

— Uma mulher corajosa, que dava suas opiniões, sempre ao lado do Brasil. Uma mulher de uma teimosia, que fez história — disse.

O velório de Beth Carvalho começou às 10h, em cerimônia aberta, reunindo diversos fãs com as camisas do Botafogo e da Mangueira. O corpo da sambista será levado o crematório do Caju, às 16h, na zona norte.

Leia também: 

Madrinha do Samba: famosos lamentam morte de Beth Carvalho

Beth Carvalho: de canção interplanetária a clássicos do samba, relembre sucessos da cantora

Corpo de Beth Carvalho é velado no Rio de Janeiro