Veja quatro dicas de como combinar vinho com o verão

Para entender melhor, busquei dicas da Márcia Amaral, que é sommelier internacional

vinho branco
Foto: Renata Diem

Qual a melhor estação para o vinho? Inverno é a resposta que surge mais rápido, pois geralmente associamos a bebida às situações de aconchego, ambientes intimistas ou a uma mesa grande e farta. Sim, combina com tudo isso, mas os vinhos não precisam ser consumidos apenas no inverno; na verdade, com a escolha certa de estilo, ele cai bem em qualquer estação.

Estamos quase no verão, época do ano em que preferimos ficar ao ar livre e viver da forma mais despojada possível. Também é tempo de comidas mais leves e saudáveis – pelo menos tentamos.

Então, qual é a tendência de vinho para a temporada?

 Márcia Amaral
Márcia Amaral (Foto: Lis Farias/Divulgação)

Para entender melhor, busquei dicas da Márcia Amaral, que é sommelier internacional pela Fisar (Federazione Italiana Sommelier Albergatori e Ristoratori) e certificada nível 3 pela WSET (Wine & Spirit Education Trust).

Segundo Márcia, o estilo verão do vinho é fresco e leve. Estes atributos são facilmente encontrados naqueles com acidez mais alta e também em vinhos jovens. A sommelier compartilha algumas sugestões.

Vinho branco: praia e piscina

Se sua praia é piscina ou pé na areia, nada como ter algo refrescante para acompanhar. Um vinho branco geladinho vai muito bem. Para a escolha ideal, procure pelos brancos sem estágio por madeira, que são mais leves e pedem para serem servidos a uma temperatura mais baixa. A ideal pode ser atingida com duas horas de geladeira ou 20 minutos em balde com gelo, água e um pouquinho de sal – ajuda a desacelerar o degelo. É importante manter a garrafa resfriada entre uma servida e outra para aproveitar a refrescância da bebida.

Vinho rosé: piquenique

vinho rosé
Foto: Carlo Giancomoni/Divulgação

Para uma refeição despretensiosa em meio à natureza, como um piquenique compartilhado entre amigos, o rosé pode ser uma boa opção. Ele é muito versátil como acompanhamento e também mais prático para ser consumido, pois não necessita de tanto resfriamento como branco ou espumante. Os tempos de resfriamento na geladeira ou balde com gelo são similares ao branco mas, após esse tempo, pode ser mantido tranquilamente em uma bolsa de neoprene, por exemplo.

Vinho tinto para acompanhar carnes

vinho tinto
Foto: Renata Diem

Mesmo na estação mais quente, muitas vezes os pratos servidos pedem um vinho tinto, ou se não pedem, nós mandamos chamar. O tinto é a preferência de muitos e há opções de verão para eles também. Se o cardápio incluir carnes, a dica é – seguindo a linha dos leves para a versão – escolher vinhos das variedades Pinot Noir, Barbera e Gamay, que apresentam menor teor de taninos, maior acidez e, em geral, não passam por madeira. Assim, ninguém precisa abandonar sua cor favorita de vinho por culpa do verão.

Espumante: celebrações

espumante
Foto: Aline Pires/Divulgação

O final do ano é temporada de brindes. Não há forma melhor de comemorar do que com um espumante. Este tipo de vinho é naturalmente refrescante por sua acidez e borbulhas. Ele também necessita de mais resfriamento: reserve no mínimo três horas na geladeira antes de servir. Se não dispuser de muito tempo, utilize um balde com bastante gelo e água com sal envolvendo a garrafa por 45 minutos, pelo menos. O espumante é um coringa na harmonização. Na dúvida, considere-o para acompanhar o prato – talvez ele não seja o acompanhamento perfeito para todos os menus, mas em geral manda bem com vários e sempre dá um toque especial a qualquer refeição. Tim tim!

Leia também:

Naturalmente rosa e com sabor surpreendente: conheça o chocolate ruby

Leia mais colunas de Renata Diem