Confira os vinhos que combinam com os pratos de inverno de Santa Catarina

Você sabia, por exemplo, que o marreco recheado aceita desde tintos estruturados até um rosé?

Vinho
FOTO: Caio Marcelo / Especial Diário Catarinense
O leque gastronômico que Santa Catarina oferece para o frio é saboroso e variado, com muitos pratos que marcam as diferentes culturas do Estado. E não há nada melhor do que aprimorar essa degustação com um bom vinho. Você sabia, por exemplo, que o marreco recheado aceita desde tintos estruturados até um rosé? E que a melhor combinação para um churrasco com variedade de carnes é um espumante brut?
Para entender melhor, escolhemos cinco pratos representativos de regiões catarinenses e, com a ajuda do especialista em vinhos Renato Rita, da Decanter, ajudamos a selecionar os vinhos que melhor combinam com eles. Renato compõe o time de sommeliers que promove as harmonizações dos pratos servidos na Confraria do Vinho Itapema, evento que comemora 10 anos e que tem sua próxima edição no dia 19 de julho, às 20h, na Alameda Casa Rosa, em Florianópolis. Confira as suas dicas:
Tainha com pirão
Prato típico do litoral, tem como primeira indicação do especialista vinhos brancos frescos, como os da Serra catarinense.
— O Sauvignon Branco é perfeito. A tainha é um peixe muito gorduroso, e qualquer vinho para combinar com ela tem que ter frescor, leia-se acidez — explica.
Para quem não dispensa tintos, Renato sugere um Pinot Noir novo ou até um Chianti, vinho típico da Toscana.
Entrevero
Elaborado com o pinhão, que fez a fama gastronômica da região mais fria do Estado.
— Esse prato não nega as origens do frio, portanto vai super bem com um Merlot brasileiro, Malbec argentino ou um Cabernet Sauvignon produzido ali mesmo, na Serra de Santa Catarina —  indica Renato.
O estpecialista explica que o entrevero pede um vinho mais encorpado, pois costuma levar carne e/ou linguiça.
Marreco recheado
Típico do Vale do Itajaí e Norte, de colonização alemã, é um prato que não falta no inverno e é também representativo das festas de outubro.
—  Como o marreco é uma das aves mais estruturadas, pede um vinho idem. Então, vai bem com um Barolo, um Borgonha envelhecido e até um Brunello — recomenda Renato.
Para agradar à maioria, também pode ser servido com um bom Shirah, um Malbec e até um Sangiovese da Serra.
— Se o recheio levar frutas, podemos pedir um rosé, também da Serra — acrescenta.
 
Polenta
Um dos pratos mais representativos da região Sul e da colonização italiana de municípios como Nova Veneza.
— Esse não nega a raça, e vai bem mesmo é com os vinhos italianos. Podendo ir bem com Valpolicella, Chiantis leves ou os rosés italianos, chamados rosatos, podendo ser substituídos pelos nossos excelentes rosés da Serra — orienta Renato.
Churrasco
O Oeste catarinense também consome muitas massas, mas o churrasco é um dos pratos mais representativos da região vizinha ao Rio Grande do Sul.
— Essa combinação costuma enganar muita gente, achando que pelo fato de ser carne é só combinar com qualquer tinto— avalia Renato.
Ele recomenda vinhos com bastante taninos quando a carne for gorda e com menos taninos se tiver muito sal. Tannas uruguaios, Malbecs estruturados e Shiraz são ótima opção.
— Quando temos um churrasco com muitos tipos de carne, os espumantes mais bruts são a melhor opção — destaca.
A Confraria do Vinho Itapema: os ingressos para a segunda edição do evento este ano são limitados e estão disponíveis pelo site Blueticket e também nas lojas físicas da Blueticket e da Siqlo, no Beiramar Shopping, na Bellacatarina e na Decanter Florianópolis.
A Confraria tem organização de Pedro Leite, coordenadora da plataforma Itapema, patrocínio da Decanter, Bellacatarina, AcqualiveSC e Grupo Geração, com apoio da Galeria de Arte Luciano Martins, da Flor de Liz e parceria com a Alameda Casa Rosa.
Leia também: