Você sabe a diferença entre intolerância e alergia alimentar?

Muitas pessoas desconhecem essas diferenças e acabam tomando atitudes em relação à alimentação que podem estar erradas

Foto: Divulgação

Apesar de alguns sintomas serem parecidos, a intolerância e a alergia alimentar têm origens diferentes. Muitas pessoas desconhecem essas diferenças e acabam tomando atitudes em relação à alimentação que podem estar erradas e, consequentemente, trazer prejuízos à saúde ou restrições alimentares desnecessárias.

A intolerância alimentar é uma deficiência enzimática digestiva que o organismo tem de digerir alguns tipos de alimentos que, por sua vez, são reconhecidos como substâncias estranhas pelo nosso corpo, causando uma reação de sensibilidade gastrointestinal.

Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, diferentemente da alergia, o aparecimento dos sintomas da intolerância alimentar normalmente é dependente da quantidade do alimento ingerida. Um exemplo dos casos de intolerância é a lactose, um açúcar presente em sua composição. A intolerância ocorre devido à ausência total ou parcial da enzima lactase, que é responsável pela digestão da lactase.

Já a alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico do organismo contra algo (alérgeno) que ele julga estranho, em geral proteínas, que podem ser derivadas de alimentos, ácaros, pólens, em que o paciente tem uma reação de hipersensibilidade. Com isso, o organismo envia células de defesa para combater a presença do agente causador, confundido como invasor, levando à chamada reação alérgica.

Quando não são tomados os cuidados necessários, a alergia alimentar pode se pronunciar de diversas formas, desde uma urticária até um choque anafilático (queda da pressão com perda da consciência). No caso da alergia ao leite de vaca (APLV), principal causa de alergia alimentar na infância, os principais alérgenos são as proteínas caseína, alfalactoalbumuna e beta-lactoglobulina. O tratamento ideal se baseia na exclusão do alimento envolvido e seus derivados da rotina alimentar.

Um dado importante é que quando um dos pais apresenta alergias alimentares, existe 30% mais chance de o filho desenvolver uma alergia alimentar. Quando ambos apresentam histórico de alergia alimentar, a chance de o filho ter também aumenta em 50%.

Para você entender melhor, vamos exemplificar os principais sintomas que diferenciam uma da outra:

Sintomas de intolerância alimentar

Dor no estômago

Inchaço da barriga

Excesso de gases intestinais

Sensação de queimação na garganta

Vômitos e diarreia

*Eles podem ocorrer 30 minutos após a ingestão do alimento, sendo mais graves quanto maior for a quantidade de alimento ingerido, e geralmente os testes de alergia feitos na pele não apresentam alteração. Os sinais são principalmente de ordem gastrointestinal.

Sintomas de alergia alimentar

Urticária e vermelhidão na pele

Coceira intensa na pele

Dificuldade para respirar

Inchaço no rosto ou língua

Chiado no peito

Vômitos e diarreia

Choque anafilático (casos graves)

*Surgem imediatamente mesmo quando ingere pouca quantidade do alimento, é mais grave e o quadro de evolução é rápido e os testes feitos na pele são positivos.

Leia também:

Seu filho tem medo de provar novos alimentos? Saiba o que é neofobia alimentar

Leia mais colunas de Carol bandeira e Silvia Ozcariz